domingo, 1 de março de 2009

Sem Segredos

Parkour - A disciplina
Por : Dan Edwardes
Tradução : Miguel Mendes

Stephane passa-se despercebido pelos arredores da cidade; Kazuma faz saltos de braços de 14 pés; Forrest sobe muros com o dobro do seu tamanho num único e fluído movimento...Os traceurs de grande nível parecem ser capazes de fazer o impossível, e com o mínimo esforço aplicado nos movimentos, fazem-no possível. Muitos observadores questionam-se: "Como é que o conseguem fazer?" - que muitas vezes é seguido de - "Como é que eu posso aprender a fazer aquilo?". A resposta é estupidamente simples, talvez até decepcionante - Treinar.

Parkour é um caminho díficil a seguir, e isto deve ser claro para todos aqueles que praticam devidamente. Não existem segredos, ensinamentos ou poções mágicas no desenrolar desse caminho. Aplica-te nesta disciplina com os seus devidos treinos, de forma correcta, e poderás ver melhorias. Continua desta maneira e as tuas melhorias multiplicaram e solidificaram. É simple...

Mas se assim é, porque não há por ai mil Stephanes, ou uma multidão a desafiar Forrest para uma competição de flexões? Bom, provavelmente por 2 razões: na verdade existem alguns poucos que têm auto-disciplina e responsabilidade suficiente para treinar no "duro" (para sofrer!), e ainda menos sabem como treinar produtivamente. Isto é, treinar duma maneira que lhes fará atingir os seus objectivos ou resultados esperados. Treinar tanto inteligentemente como para o duro. Mais cedo ou mais tarde irás ver pessoas a descuidarem-se e a perderem a noção do perigo por simplesmente ignorarem o treino de condição/preparação física. Depois praticam movimentos que ainda não estão fortes o suficiente para repetir duma maneira segura.

Então como pudemos prevenir estes erros e começar a colocar as nossas metas em conseguir a verdadeira perfeição do movimento?

Treinar com empenho, mas eficientemente

"Ninguém nasce com a capacidade de fazer estas coisas com tanta facilidade e graciosidade. A diferença entre um traceur "bom" e um "exelente" vem do como este é empenhado no seu treino: quantas horas dedica ao seu treino treinar e como tira proveito dessas horas."

Não é só o número de horas a que te dedicas à actividade, tens de as saber usar de forma productiva. Vaguear as ruas durante 9 horas incluíndo alguns períodos de tempo para movimentos/saltos/corrida não constitui 9 horas de treino. É quase impossível, e de certeza contra-productivo, treinar numa disciplina durante 9 horas por dia. Atletas Olímpicos não tomam esse tempo todo para treinar, pela simples razão de que acabaram por atingir resultados negativos. Mas passa 2 a 3 horas por dia a treinar - ou seja, em constante movimento, exercitando e repetindo - e encontrar-te-às não só cansado mas também num rápido e notável progresso.

Existe uma distinção muitas vezes realçada entre os termos "treinar" e "praticar". Treinar é visto como o trabalho que vai até ao desenvolvimento da habilidade para ser capaz de praticar uma certa actividade. Ambos são necessários para algo aproximado a uma disciplina. Contudo, outra coisa deverá presenciar em qualquer praticante: também se têm de preocupar com o treino excesivo que pode levar a uma grande variedade de lesões - tenta arranjar um equílibrio no teu corpo. Lá está, sê eficiente - dedica um dia a trabalhar a parte de cima do corpo (upperbody), no próximo dia descansa os braços/ombros enquanto trabalhas as pernas e ancas (lowerbody). Talvez no terceiro dia o teu objectivo seja trabalhar menos a condição física e focares-te mais na fluídez e combinações de movimentos de parkour. No quarto dia pudias escolher em trabalhar mais âmplamente, mais exigentemente, em movimentos individuais numa sessão mais equilibrada. No quinto dia, descansa - que é um componente tão importante num regime de treino como o treino em si; ambos (treinar e descansar) são essenciais como o dia para a noite. Qualquer que seja o teu regime, arranja uma estratégia para aperfeiçoar de forma a que o consigas realizar.

Treinar inteligentemente, sempre à procura dos erros e minímizando-os

20 anos de treino não significa nada de foram 1 ano de erros repetidos 20 vezes! Igualmente, 1000 repetições do mesmo salto mal feito só irá reforçar o erro. Isto porque aquilo que tu fizeres num determinado perído de tempo repetidamente, o teu corpo irá "absorver" e adaptar-se ao que fizeste. Isto para dizer que tu fazes o que treinas. Se treinas incorrectamente, irás mover-te incorrectamente. Aprende a tomar atenção às coisas pequenas. Quando saltas e aterras, fá-lo da maneira mais correcta e estável que conseguires, trabalha para isso, esforça-te por isso, e repete-o uma vez, e repete mais uma vez, e mais uma até conseguires ter o movimento sólido para em qualquer situação sair correcto. Não te contentes só com uma "boa" precisão, ou um salto com um pouco impacto, quando puderiam ser melhor executados, seja pelo barulho ou a simples maneira com que o movimento é feito. Esforça-te sempre para atingir o patamar da perfeição do movimento. Trabalha e tem como o objectivo o controlo absoluto, para o silêncio completo. Trabalha para seres o "mestre" dum movimento em particular, qualquer que seja, refinado-o e melhorando-o, e refinado outra vez, até mais ninguém mas só tu possas saber a diferença entre um movimento com que sintas confortável, com outro que saibas que te sai imperfeito/descontrolado.

Obriga-te a trabalhar intensivamente num movimento/aspecto que aches ser o mais difícil e surreal. Se fugires ou simplesmente ignorares aquilo em que não és bom e concentrares-te apenas naquilo em que te sentes confortável, irás limitar o teu desenvolvimento e potencial! Desenvolve ambos os lados do teu corpo o mais possível - para ser funcional, tens de ser capaz de andar com ambos os pés, de fazer um movimento para ambos os lados, de rolares em ambos os ombros. Tu irás inevitavelmente favorecer um lado do corpo, mas dá tempo para desenvolver o teu lado mais fraco, que menos controlas e o teu lado forte beneficiar-se-à - isto porque os nossos corpos são simpáticos de natureza e o que acontece aos músculos do braço direito tem um impacto nos músculos do braço esquerdo.

Tens de ser o teu próprio treinador quando treinas. Olha para ti mesmo; analisa os teus movimentos; sê honesto com a tua avaliação. Aquele movimento pudia ter sido mais controlado, com uma aterragem mais suave? Pudia ter sido mais eficiente? O que é que puderia melhorar? Haverá sempre alguma coisa, acredita.

Treina completamente, desenvolvendo os teus atributos tanto como as tuas aptidões

Nós sugerimos que pelo menos 50% dum regime de treino seja dedicado aos atributos físicos, atributos estes como a força, flexibilidade, capacidade muscular (resistência), fitness cardio-vascular, dinamismo e velocidade. A maior parte destes atributos caiem juntos sobre aquilo a que denominamos condição física, e é de tal forma importante que não pode ser ignorada, como muitos fazem.

Para melhores resultados no desempenho do teu parkour, tens de ser forte o suficiente para seres capaz de conseguires lidar com a exigência física dos movimentos. Muitas vezes encontramos pessoas do ginásio, carregando músculos enormes, querendo aplicá-los ao parkour e acabando por descobrir que os mesmos impressionantes músculos são inúteis. Há uma razão que é conhecida como "músculos falsos"... Tu podes ser capaz de levantar pesos de grande quantidade, mas se não consegues puxar o teu próprio peso do corpo sob uma parede - quando fazes uma planche por exemplo - não te é útil para parkour.

Parece que os exercícios de condição física mais produtivos para parkour são aqueles que na verdade, incluêm movimentos de parkour. Como um bom exemplo: em 2 planos horizontais, um por cima do outro, sejam 2 corrimões ou 2 muros, etc. O objectivo é ficar numa posição inicial de cat-leap no muro mais baixo e puxar o corpo todo para o muro de cima com a ajuda dos pés e mãos. Em posição de cat-leap no muro de cima, deixa-se cair para o muro abaixo num movimento simples e controlado. Repete isto 10 vezes e completas um set: podes fazer 10 ou mais sets como parte dum treino normal e descobrirás rapidamente novos níveis de força e confiança nos teus músculos dos braços, ombros e costas. Este exercício, por muito simples que seja, deve ser perfeito para o dinamismo do teu tronco e resistência, necessários para súbidas rápidas e cat-leaps controlados. Este e outros mil exercícios devem ser executados regularmente se queres demonstrar progressos na tua prática. Atributos fortes levam a uma maior facilidade em adequirir aptidão.

À procura de alguém que te guie

"A verdade é que não há substituição por um bom guia. Pensava que não havia segredos para aprender parkour. Há muitas subtilezas para o treino de um traceur que são extremamente difíceis de lá chegar sem um guia. E são esta subtilezas - a atenção ao promenor desde o início do treino - que podem e fazem mesmo toda a diferença."

Parkour é uma disciplina relativamente recente e o número de "professores" com aptidão mais desenvolvida nela é pequeno. Ter acesso a estes professores é difícil. Estes 2 factos combinados, têm como resultado final de que a maioria a praticar (especialmente fora de França) são professores de si mesmo, imitando movimentos vistos em videos online do youtube ou na televisão. Grande parte não se apercebe do quão duro o treino é e o puro esforço que nele é aplicado. Por isso vão copiar movimentos que não são capazes de suportar de forma segura e correcta. Para além de que estes imitadores correm maior risco de criar lesões. E só porque é difícil encontrar instrução apropriada numa disciplina, não significa que se deve submeter a treinar correctamente. Tudo vem do quão interessado estás em aprender. Por isso se não há ninguém na tua zona capaz de te guiar...viaja! Põe-te num comboio, ou até mesmo num avião, para Paris ou Londres ou outro sítio que tenha um grupo de praticantes competentes. Há pessoas dispostas a ajudar por ai, até mesmo no mundo do parkour novato, por isso procura-as e aprende com o que eles aprenderam.

Não há segredos no parkour, asério: mas isto é uma espada 2 vezes afiada. Significa que qualquer pessoa, que queira encontrar o seu caminho, pode realmente fazê-lo - mas também significa que não há poções mágicas através desse caminho. Se o queres seguir, tens de o andar.

Nota: Podem encontrar o texto original aqui: http://www.parkourgenerations.com/articles.php?id_cat=1&idart=3
Cumpz,
-Mike

1 comentário:

  1. Alguns erro ortográficos, mas tá bom o texto.

    Parabéns.

    ResponderEliminar